sexta-feira, abril 22

Forever and ever



Sempre dizem que depois da morte não existe mais vida. Sempre acreditei nisso. Era como olhar pelo espelho e, simplesmente, não me ver. Talvez um dia gostaria de experimentar essa sensação, mas não queria que fosse tão rápido.

Parece que foi ontem que você disse que me amava, mas que devia ir viajar logo. Eu gritei pela janela do apartamento dizendo para você não ir, que você não estava calmo suficiente para pegar a estrada - ainda mais a noite - mas como ninguém me ouve, ninguém nunca me ouviu, você pegou a estrada.

Era muito tarde, quase de madrugada, quando você chegou. Trancou a porta. Respirava ofegante.
Eu arrumava uns livros e estava sentada no chão, na beira da cama. Ouvindo você entrar eu gritei:
- Esqueceu a chave e subiu correndo, não é?
- Tam-bém é.. uma busca... sem cessar... c-o-m-o...
Eu me virei, é claro, você nunca falava desta forma. Seu olhar estava diferente, mais terno, mais... distante? Não sei. Achei que estava com vertigem, mas parecia que atrás de você tinha uma aura.
- Tudo bem? - Eu perguntei. Sabia que havia algo... diferente - se não até errado - estava ou tinha acontecido.
- Como você me vê? - Você disse, meio sorrindo.
- Lindo, como sempre. Mas eu não disse para você levar a camisa? - Eu te estranhava cada vez mais.
Mas foi quando você se aproximou da cama, ajoelhou-se no chão. Eu agora podia ver, atrás de você existia uma luz. Nunca tinha notado.
- As coisas aconteceram muito rápido, eu sai, coloquei a camisa e guiei. A ira me cegava. Dirigia rapidamente, a pista estava vazia, mas de repente sugiu um caminhão. Tudo se apagou. Do nada eu me vi na estrada sangrando. Meus pés não pisavam o chão, eu flutuava. Não conseguia pensar em nada, até que eu percebi que estava aqui na porta do apartamento. A respiração, parecia me faltar. Abri a porta e to aqui. Não consigo acreditar...
- Você não tá alucinando? - Eu tentava entender, realmente, o que estava acontecendo, até que você se levantou. Não, você não pisava, você... flutuava!
- Não entende? Eu não vivo mais neste mundo! Eu... morri...
Minha visão já estava embaçada, eram as lágrimas. Você se ajoelhou.
- Não sei por qual motivo, não sei porque estou aqui. Mas eu te amo. - Seu olhar era ternura, era amor. - Desculpa me ocultar de você, de discutir com você. Mas eu to aqui. Eu sei que eu vou estar, algo me diz que eu sempre vou estar aqui, para você, por você. - Você esticou suas mãos. Eu podia te tocar, eu sentia.
- Você vai ter que viver comigo para sempre, vai ter que me tolerar. - Meus olhos cheios de lágrimas, mas meus lábios me traíam, formavam um leve sorriso.
- Agora eu sei. - Eu sorria. - Você era o anjo que entrava em minha vida e saia rapidamente, mas que iria permanecer para sempre, somente em mim, para mim e por mim, como nos sonhos que tinha desde que te conheci. Nunca vai me abandonar? - As lágrimas rolavam pelo meu rosto. - Por que não consigo chorar de tristeza como as outras pessoas? - Mas as lágrimas corriam minha face. Não era tristeza.
- Porque você é a unica que me terá assim e me sentirá para sempre. - Eu sabia, você sabia. Era amor.

A cena se repete, se renova.
Foi estranho te ver ao meu lado de manhã, enquanto as outras pessoas choravam pela sua "morte". Era novo estarmos no banheiro e não te enxergar no espelho, ao meu lado. Mas era bom, e eterno, dormir e sentir o teu abraço, sentir o seu cheiro, tudo como era antes, unicamente para mim.

Se antes eu não acreditava em vida pós a morte, agora eu acreditava na vida eterna. Não somente, mas também em amor eterno.
E agora estamos eu e você aqui, numa só aura, num só sentimento. É bom sentir que as coisas foram bem cumpridas, que o amor une as pessoas até a vida eterna. E por fim, é bom demais saber que eu vivo, aqui, depois da "morte".

Vida, realmente vividas, e amores verdadeiros duram mais que uma vida, eu sei.

17 comentários:

  1. Que incrível esse texto, Juu.
    Nunca li algo parecido. E se realmente fosse assim?.. ou melhor: e se for assim? É complicado pensar nessa possibilidade.
    Mas uma coisa eu tenho certeza. Se o amor é verdadeiro e se um dia a morte separar duas pessoas que se amam, mesmo que a vítima desta fatalidade não esteja presente fisicamente ela estará no coração e na mente.

    ResponderExcluir
  2. Quer ser o destaque de abril? Cadastra-se.
    http://historiasdepamela.blogspot.com/2011/04/voce-no-era-uma-vez-mes-de-maio.html

    ResponderExcluir
  3. parabens pelo blog,
    pelo texto ser publicado na ABL

    seguindo você
    http://iasmincruz.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  4. Muito obrigado por ter enviado o texto ao projeto. Foi apenas apenas o primeiro post, mas superou as nossas expectativas de visitas.

    Esperamos outros textos seus, que são ótimos por sinal, no decorrer do projeto.

    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Concurso , 100 seguidores .
    Ajuda lá manoo
    www.pikingrw.blogspot.com
    DIVULGANDO , DIVULGANDO , DIVULGANDO

    ResponderExcluir
  6. duram mesmo.
    sei disso há muitas vidas! rs



    bjsmeus

    ResponderExcluir
  7. Ju, ficou lindo e depois ele ainda ficou com ela? Nossa mesmo.
    Eu até fiquei meio perdida, pq não consigo imaginar a história com a imagem, acho que por ter o Sam,rs. POis bem, eu gostei e bem que eu queria um amor eterno, bem que eu poderia acreditar nisto tudo...

    ResponderExcluir
  8. Oiee, Sou do blog: www.iandeee.blogspot.com ''Além do sol...''

    Vi seu texto no ABL.
    Abraço, adorei aqui.

    ResponderExcluir
  9. PARABÉNS PELO BLOG ! E VOLTE SEMPRE POR LÁ..
    OBRIGADA.

    ANA

    ResponderExcluir
  10. Queria eu que todo esse ceticismo fosse embora e pudesse acreditar de coração aberto nessas coisas lindas que faz a gente ter um pouco de fé. Mas é tão difícil.

    Não sei porque mas com essa história eu acabei lembrando daquele filme que o cara volta como boneco de neve para ficar perto da esposa e do filho. Tão bonitinho!

    ResponderExcluir
  11. Gostei do texto... Muito lindo =]
    Tem frases que ficaram perfeitas!
    Amiga, esses quadrinhos de aviso que você coloca é bom pra ninguém copiar seus posts, mas quando a gente vai baixar a página fica aparecendo direto e é ruim pra ler os textos assim... Você que sabe, mas seria legal tirar e deixar somente o outro.
    Ah, como você faz pra colocar "trilhões de pessoas comentaram" por exemplo?
    Agradeço se me der essa dica ;D

    Estou seguindo!
    Beijos
    http://bblah-blah-blah.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  12. Amores eternos? Quando se há amor, há cumplicidade, confiança, intimidade e outras coisinhas... O amor ganha resistência com tudo isso e,consequentemente, é mais difícil de se separar. As brigas sempre há de ocorrer, faz com que a relação seja a mais apimentada. Desse modo, amores eternos existem de verdade.
    Parabéns pelo belíssimo texto! Nunca vi um texto tão bem escrito e detalhado.
    Obrigado por alguns minutos de leitura!
    Bjão!

    ResponderExcluir
  13. a-do-rei seu blog! lindo! já to seguindo! bjo

    ResponderExcluir
  14. Oii floor!
    bem lindo teu blog, amei!
    Já to te seguindo!
    Comente para que eu possa te seguir tbm!
    bj bj

    http://ahcuriosaa.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  15. Eu não acredito em vida após a morte, embora às vezes sinta a necessidade de acreditar, parece que sem isso a vida fica meio vazia nas horas difíceis. Acho que já é complicado encontrar um amor que dure em vida, mas um que ultrapasse isso feito do texto é lindo e utópico.

    Lindo seu texto, assim como seu blog.

    Beijo,

    http://convergindocultura.blogspot.com.br

    ResponderExcluir

Antes por favor LEIA O POST, não custa nada.
Comentários serão retribuidos, na medida do possível, com certeza! Obrigada pela passagem.

Conhece o Projeto Bloínquês? Ele é o único projeto que ajuda e interage com blogueiros, dá temas, selos, entrevista, sorteia livros... quer conhecer? http://bloinques.blogspot.com/ pode confiar que não é vírus. Volte sempre! Abraço, Ju Sep.